quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Pela fé...eu vivo !








"Estai em Mim, e Eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em Mim [...] Sem Mim nada podereis fazer. " (João 15:4,5)


Viver é reconhecer nossa dependência de Cristo e nos submeter a Ele diariamente.
Não nos submetemos a quem não conhecemos e não amamos. Daí nossa necessidade de buscá-Lo e conhecê-Lo diariamente por meio da comunhão submissos m Ele.
Depois do pecado, todos passamos a ser submissos a alguma coisa, a alguém ou a nós mesmos, à própria consciência.
Naturalmente, somos submissos aos nossos desejos egoístas... Porém, devemos ser submissos a Deus e viver uma vida de acordo com Seus princípios.

"Sois justamente tão dependente de Cristo, para viver uma vida santa, como a vara é dependente do tronco para crescer e dar fruto.
Separados dEle não tendes vida. Não tendes poder algum para resistir à tentação ou crescer em graça e santidade.
Permanecendo nEle, florescereis. Derivando dEle a vossa vida, não haveis de murchar nem ser estéreis. Sereis como árvore plantada junto a ribeiros de água.
Nosso crescimento na graça, nossa felicidade, nossa utilidade - tudo depende de nossa união com Cristo. Ele mudará o coração. Nele habitará pela fé. Pela fé e e contínua submissão de vossa vontade a Cristo, deveis manter essa ligação com Ele; e enquanto isso fizerdes, Ele operará em vós o querer e o efetuar segundo a Sua vontade." (Caminho a Cristo, pg 69)

Quem possui nosso coração ?
Com quem estão nossos pensamentos ?
Sobre quem gostamos de conversar ?
Quem é o objeto de nossas mais calorosas afeições e nossas melhores energias ?

Se somos de Cristo, nossos pensamentos com Ele estarão, nEle se concentrarão as nossas mais doces meditações.
Tudo que temos e somos a Ele será consagrado. 
Almejaremos trazer a Sua imagem, possuir Seu Espírito, cumprir Sua vontade e agradar-Lhe em todas as coisas. (ibid. pg 58)

Fé e submissão andam de mãos dadas. Uma leva a outra. Não se consegue ser submisso sem ter fé e nem ter fé sem ser submisso.

sábado, 6 de setembro de 2014

Que Jesus ilumine sempre o caminho de todos nós!!!







" Aprendi com o Mestre dos Mestres que a arte de pensar é o tesouro dos sábios. Aprendi um pouco mais a pensar antes de reagir, a expor - e não impor - minhas idéias e a entender que cada pessoa é um ser único no palco da existência.

Aprendi com o Mestre da Sensibilidade a navegar nas águas da emoção, a não ter medo da dor, a procurar um profundo significado para a vida e a perceber que nas coisas mais simples e anônimas se escondem os segredos da felicidade.

Aprendi com o Mestre da Vida que viver é uma experiência única, belíssima, mas brevíssima. E, por saber que a vida passa tão rápido, sinto necessidade de compreender minhas limitações e aproveitar cada lágrima, sorriso, sucesso e fracasso como uma oportunidade preciosa de crescer.

Aprendi com o Mestre do Amor que a vida sem amor é um livro sem letras, uma primavera sem flores, uma pintura sem cores. Aprendi que o amor acalma a emoção, tranquiliza o pensamento, incendeia a motivação, rompe obstáculos intransponíveis e faz da vida uma agradável aventura, sem tédio, angústia ou solidão.
 Por tudo isso Jesus Cristo se tornou, para mim, um Mestre Inesquecível"

Augusto Cury

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Lições de Vida II





O que você pode aprender na universidade da vida ? 
Pense nestas lições, além das que vimos.

1. Longe de ser uma quadra de esporte ou um piquenique, a vida é uma sala de aulas. Por isso, reflita sobre suas experiências.

2. Muitos de nossos troféus de hoje estarão na lata de lixo amanhã. Assim, seja comedido.

3. Em qualquer associação de dois seres humanos, cedo ou tarde, um acaba irritando ou ferindo o outro.
Como responder aos atritos da vida ? 
- Alguns internalizam os atritos, guardando-os na memória e nunca esquecem;
- Outros tentam resolver e desacertos na base dos músculos ou ferindo verbalmente. Isso causa morte de casamentos, relacionamentos, amizades e sociedades.
- Você pode tomar tempo para conversar, discutir os sentimentos, cuidando para não atacar a dignidade ou o valor da outra pessoa.

4. O corpo humano pode parecer indestrutível quando somos jovens. Contudo, ele não é tão forte assim. Se não cuidarmos do nosso corpo, onde vamos morar ? 

5. Quem se casa com os valores de hoje estará viúvo amanha. Não seja afoito com os modismos.

6. Quais são suas áreas frágeis ? O que você quer ?  Sexo, poder, dinheiro, fama, prestígio ?  Essas coisas Satanás vai lhe oferecer.

7. As questões finais da vida são de extremo significado. Até que elas sejam resolvidas, sucesso, fama, dinheiro, realizações acadêmicas estão sobre fundamentos falsos.

8. A busca de significado tem sido a marca da cultura oriental. Misticismo, meditação transcendental, yoga e gurus falham porque buscam respostas dentro do homem, enquanto a resposta verdadeira está fora dele. Está em Deus !

9. Imagine-se uma pessoa idosa, olhando para trás, através do tempo. As memórias de maior significado estarão ligadas às pessoas que amamos e nos amaram, e àquilo que pudemos fazer no serviço de Deus.
10. Finalmente, lembre-se: experiência não é o que acontece com você, mas o uso que se faz com aquilo que acontece com você.

Confia no Senhor de todo o teu coração e não no teu próprio entendimento. Prov. 3:5

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Lições de Vida







"Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio."
 Salmo 90:12

Quero compartilhar com vocês dez lições que aprendi:

1. Tudo o que temos ao redor é temporário e um dia vai passar. Todas as coisas serão feitas novas pelo Criador. 
É uma questão de tempo, os eventos que hoje parecem tão importantes serão vistos de outra perspectiva.
2. Excesso de compromissos  e pressão do tempo são os principais assassinos dos relacionamentos. 
Qualquer relacionamento requer tempo para ser desenvolvido. 
Isso vale tanto para o relacionamento com Deus como entre esposos e com os filhos.
3. Trate as pessoas como você gostaria de ser tratado. Busque reprimir a centralização básica do  "eu". Nunca explore nem tire vantagens dos outros. Aproveite as oportunidades para tornar suas amizades mais fortes.
4. O valor humano não depende da aparência, inteligência nem de realizações.
5. A comparação é a base de todos os sentimentos de inferioridade. No momento em que começamos a examinar os pontos fortes dos outros, em oposição às nossas fraquezas, a autoestima começa a ser abalada. Muitos são como a rã que queria ser boi e acabou explodindo.
6. Como regra geral, nunca arrisque aquilo que você não se pode dar ao luxo de perder.
7. Se você está passando por tempos difíceis, permanece firme. Isso vai passar. Se você está experimentando dias tranquilos, isso também vai passar. As únicas coisas que permanecem são as que por natureza, são inabaláveis. 
8. Um dos segredos da vida bem sucedida encontra-se na palavra equilíbrio.
9. Seja cuidadoso nas escolhas, mesmo as pequenas, porque elas condicionam as grandes. 
10. Recuse o complexo de vítima. Mude o que pode ser mudado e aceite o inevitável com confiança no poder dAquele que pode todas as coisas. 

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Por que necessitamos de amigos?









Você já observou como é difícil ter amigos ?
Estou falando de amigos reais, não de colegas ou meros conhecidos. Esses podemos ter em abundância.
Amigo na minha definição, é o irmão ou irmã que você escolhe.
Encontrei textos lindos no livro de Provérbios  " em todo tempo ama o amigo "(Pv 17:17) " há amigo mais chegado que um irmão."
Por que essa necessidade de construir amizades ?
Por que necessitamos de amigos? 
Há pelos menos três razões básicas:
1. - Necessitamos de amigos porque precisamos de encorajamento. "Melhor é serem dois do que um {...} Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro."
Você já experimentou situações em que a presença de um amigo faz toda a diferença ? 

2. - Necessitamos de amigos porque precisamos de conselho. "Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto. Leais são as feridas feitas pelo que ama, porém os beijos de quem odeia são enganosos." (Pv 27: 5, 6)
Em muitas ocasiões, um amigo correrá o risco de ser honesto conosco. Este é um dos testes da amizade. Necessitamos de amigos que não apenas nos aplaudam, mas que sejam também corajosos, nos confrontando com a verdade e nos fazendo ver aquilo que não estamos vendo ou pior ainda, que não queremos ver.

3. - Necessitamos de amigos, porque eles desafiam nosso potencial. "Como o ferro com o ferro se afia, assim, o homem, ao seu amigo." (Pv 27:17)  Um bom amigo afia nossa percepção e estimula nosso crescimento mental, intelectual, emocional e espiritual.
Tem você amigo assim ? 
Por outro lado, a amizade é que ela "soma virtudes e multiplica defeitos."
Milhares de pessoas são desviadas pela influência ou pressão de falsos amigos. 
Lembre-se: os maus não são amigos, mas cúmplices. Se para permanecer no "grupo" você tiver que praticar o erro, esse grupo não é para você. Se não conseguir mudar o grupo, saia dele. 
Por princípio, seja amigo de todos, mas seja mais amigo dos que são amigos de Deus.
Faça bons amigos, mas lembre-se do segredo para ter bons amigos é ser um bom amigo.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Confiança






Minha tia costumava dizer: "Confiança, a gente só tem uma no estoque."
Se acabar, acabou. Se usar tudo, se perder, se jogar fora, se estragar...não tem mais.
Não dá para comprar, alugar, emprestar, esticar, substituir, pôr de molho. É única, sem história, sem promessa, sem "isso passa. "  Simples assim.
É uma ideia muito dura essa que certas coisas não têm conserto. Mas é a verdade. 
Quantas vezes a gente não teve a confiança perdida, e nunca mais a encontrou de volta?
Eu mesma tive umas tantas. 
Amigos que partiram meu coração, amor que não me queria bem, projetos que nunca decolaram, produtos que não cumpriram suas promessas...
Essas coisas da vida que todo mundo passa, por sorte ou por azar.
Que vão nos deixando com a casca grossa e os reflexos ligeiros, que é para a gente cair menos, e se tropeçar, o tombo não doer tanto.
Pela ideia da minha tia, a gente começa lá na infância, com o lojinha cheia. As prateleiras vêm lotadas de confiança e suas variações: a esperança na vida, a fé na humanidade, o otimismo no amanhã, a certeza de final feliz. 
Com o passar do tempo, as decepções vão roubando nosso estoque, as frustrações deixando buracos que abalam até as estruturas da despensa. 
E fazer o que com esses espaços vazios ?
Realmente gostaria de poder dizer: ah, é só preencher com perdão e segundas chances, com paciência e a crença de que vai dar certo.
Mas sabemos que não é bem assim.
Tem perdas irremediáveis, tem pessoas que merecem ficar pra trás, tem histórias que é melhor deixar pra lá.
O problema é que, ainda que a gente não queria mais, o buraco na prateleira fica. E o buraco na prateleira é um buraco na gente.
Bom, não sei o que fazer com isso. Mas sei que o não fazer: deixar esses buracos se encherem de ressentimento e amargura. De medo de perder e angústia de acreditar de novo. Eu sei, o estoque está baixo, vamos ficar gastando nossa boa vontade assim ? Ahá ta!
Mas aí é que está. O que minha tia não sabia, mas tenho descoberto por aí, é que, assim como podemos perder a confiança que tínhamos estocada, também podemos ganhar fé em coisas que nem imaginávamos. Com esses achados, não  tapamos os buracos. Mas voltamos a nos sentir maiores e mais inteiros. 
Quer ver ?  Pense na lojinha. O estoque antes cheio, anda minado depois de uns calotes. Mas vem gente nova querer fazer negócio. Se a gente fecha a porta para proteger o pouco que nos sobrou, ok, até que fica resguardado.
Mas a única maneira de crescer e repovoar as prateleiras, ainda que seja com outras histórias, é justamente se abrindo.
É difícil, eu sei. A gente se pega desconfiando antes mesmo de confiar. É preciso ter truques. O meu é tentar contar, para cada coisa que me decepciona, ao menos uma que me surpreenda. 
Para cada pessoa que me frustou, lembrar de uma que me fez bem. Para cada plano que deu errado, uma ideia que deu certo. Para cada dia ruim, (aff e como tem dia ruim) um momento feliz. 
E daí, tia, eu vejo que é verdade: algumas confianças perdidas são irrecuperáveis. Mas, quando a gente se liberta delas, também pode ganhar muitas outras no caminho.
Achar motivos e pessoas para acreditar é um exercício diário.  E assim fazendo nós vamos recuperar a fé e um mundo melhor. 


segunda-feira, 7 de julho de 2014

7 Bilhões em Ação





Há quem não se comova...quem vê multidões indo aos estádios, ligando a TVs, tremulando bandeiras, beijando brasões, pintando a cara, roendo as unhas, maldizendo quando a bola entra de um lado e sublimando em euforia quando entra do outro - e simplesmente não se contagia.
Há quem não torça pelo futebol. Mas não há quem não torça por coisa alguma na vida.
Pode ser para que faça sol, para que o fim de semana chegue logo, para o espirro não ser gripe, para o ônibus não demorar, para a receita dar certo, para a dieta fazer efeito, por um final feliz.
Todos nós queremos alguma coisa e torcemos para que isso se torne realidade.
Essa empolgação às vezes é tão forte que nos leva a sair da arquibancada e entrar em campo para fazer o resultado. Porque há situações que nem os mais fortes bastam.
É quando estudamos até tarde para passar na prova, quando enfrentamos o medo de ouvir um não apostando na chance de que venha um sim, quando escolhemos uma posição que consideramos mais justa.
Mas a causa também pode ser totalmente irrelevante.
Você está zapeando a TV e, sem perceber, se vê torcendo para que o calouro desafinado, mas gente boa, recebe a melhor nota dos jurados. Acha concurso de beleza meio bobo, mas de repente se flagra em campanha pela miss Brasil...
Por quê ? 
Ora, porque é divertido.
Se a gente não corre risco de perder, também não cria possibilidades para comemorar. Mesmo que seja só por bobeira.
Boa parte da vida vem desse jogo que disputamos contra as incertezas do futuro: ter expectativas e desejar que elas se realizem. Cada um à sua maneira, estamos todos juntos nessa grande torcida.